Brasil Debate

Brasil Debate

Guilherme Santos Mello

É professor do Instituto de Economia da Unicamp e pesquisador do Centro de Estudos de Conjuntura e Política Econômica (CECON-UNICAMP).

 
Guilherme Santos Mello

Os golpistas estão chegando

Diante das informações que tomam conta do noticiário político, a farsa a ser encenada, montada nas negociações entre setores do PMDB e do PSDB, parece bastante simples e será breve como deve ser um golpe de Estado bem executado

O enredo do golpe parece finalizado. Ele é resultado de extensas negociações entre setores do PMDB e do PSDB, que chegaram a uma fórmula em que ambos repartirão o poder nos próximos três anos, preparando o terreno para as eleições de 2018. Além destes dois partidos, diversas outras agremiações menores, até então integrantes da base do governo, decidiram aderir ao projeto golpista com o objetivo de aumentar sua participação em um futuro governo de “coalizão”.

Esperam que neste novo governo o poder Executivo utilize sua influência para proteger seus aliados das possíveis consequências da Operação Lava Jato e similares.

A partir deste momento, entramos no campo das conjecturas. Diante das informações que tomam conta do noticiário político, a farsa a ser encenada parece bastante simples e será breve como deve ser um golpe de Estado bem executado.

Em primeiro lugar, o PMDB e seus líderes utilizarão sua influência no TCU para que este tribunal rejeite as contas do governo federal de 2014. Em seguida, o Congresso Nacional, com base no parecer do TCU, também rejeitará as contas do governo, abrindo caminho para a abertura de um processo de crime fiscal contra a presidenta.

Diante desta acusação, os parlamentares superarão a bem ensaiada (e claramente falsa) resistência do presidente da Câmara em dar prosseguimento ao processo de impeachment, exigindo seu direito regimental de votar o tema em plenário.

O plenário aprovará com ampla maioria a abertura do processo de investigação contra a presidenta, que será conduzido em uma comissão sem a participação de petistas, ou com eles isolados. Esta comissão, por sua vez, será breve ao aprovar um parecer exigindo o impedimento de Dilma, que será votado no Congresso Nacional, alcançando os dois terços dos votos necessários para sua aprovação.

Com a posse do vice, José Serra é anunciado como ministro da Fazenda, garantindo o apoio do PSDB (ou de sua ala paulista) ao governo recém-formado e ao processo de golpe. Os demais partidos serão agraciados com importantes cargos e ministérios.

Este é o roteiro elaborado pelos golpistas e que deverá ser encenado nas próximas semanas, mesmo que com eventuais improvisos e alterações. A crise política no Brasil já vinha se agravando, mas o movimento golpista ganhou contornos mais claros nos últimos dias, com a retomada das atividades legislativas e a demonstração de que a base de apoio ao governo se enfraqueceu.

A falta de apoio popular, revelada nas pesquisas de opinião, inflam as aspirações golpistas e o desejo de poder daqueles que até ontem se diziam aliados do governo, mas hoje enxergam na deposição de Dilma a oportunidade por assumir novos e melhores cargos no poder federal.

Clique para contribuir!

Além do golpe em si, há também uma tentativa clara de destruir a herança dos governos Lula e Dilma, fragilizando a esquerda, o PT e criminalizando suas gestões e seus militantes. O que se busca, na realidade, é alterar a narrativa da história recente, que demonstra os enormes avanços econômicos e sociais das gestões petistas.

Convencer a maioria dos brasileiros de que os governos petistas só trouxeram corrupção e desesperança, ao invés da ascensão social que as pessoas de fato vivenciaram, não será tarefa fácil.

Apesar disso, por mais falsas que estas afirmações possam soar, o fato de estarmos atravessando uma crise econômica e política facilita o trabalho daqueles que querem reescrever a história e alterar a memória do povo brasileiro. Caso esta operação seja bem-sucedida, os grupos políticos e econômicos ligados à direita devem se manter no poder por longos anos, enquanto a esquerda luta para se reorganizar em novos partidos e movimentos políticos.

Dois eventos centrais devem definir, portanto, a sorte do governo nas próximas semanas: em primeiro lugar, o julgamento do TCU acerca das contas do governo em 2014; em segundo lugar, impacto das manifestações populares convocadas pelo PSDB e grupos de direita.

No primeiro caso, a grande influência do PMDB sobre alguns ministros do TCU deve demonstrar até que ponto o partido “governista” adentrou o planejamento do golpe, costurado secretamente nos bastidores de Brasília, mas que até o mais desinformado jornalista já teve acesso aos detalhes.

No segundo, a cobertura da grande imprensa buscará monopolizar a “versão” sobre os atos, retratando-os como demonstrações apartidárias de um descontentamento difuso e majoritário, mesmo que estes sejam claramente partidários, com seus alvos escolhidos seletivamente. O único espaço de contraposição continuará sendo a internet e as redes sociais, onde a militância de esquerda deve apontar as contradições do discurso golpista.

Diante da dura e triste realidade que se apresenta, resta a constatação de que Dilma ainda é a melhor esperança para o futuro do país e sua democracia. Aceitar que o país passe pela crise institucional que representa um impeachment é apostar que o Brasil não passa de uma “república de bananas”, onde golpes de Estado podem ser realizados sem qualquer reação por parte da população. O que está em jogo não é uma defesa do atual governo Dilma, mas a defesa da própria democracia e do Estado de direito.

Os golpistas estão chegando. Resta saber se o povo brasileiro os receberá com flores ou com foices.

Crédito da foto da página inicial: Marcello Casal Jr./ABr

Clique para contribuir!
Share

35 respostas to “Os golpistas estão chegando”

  1. Maria Betania disse:

    Também acho que o Golpe está bem Arquitetado e bem próximo…..Já essa semana esse Ministro Gilmar Mendes, que havia aprovado em Dezembro as contas do Governo com Ressalvas, vem com a conversa de pedir que a PF e MP investiguem essas mesmas Contas de Campanha de Dilma, pois suspeita de Ilegalidades…..Esse cara é um Tucano Maldito…..do jeito que as coisas vão, Dilma não conseguirá Governar com toda essa Tensão…….O Vice Temer vai Anunciar que está fora da Coordenação Política, pois não foi atendido em suas “Reivindicações”(Chantagem)……TODOS uns Interesseiros, Chantagistas, Golpistas…….O PMDB é o Pior de Todos…….Mas como Governar sem o Apoio dessa Corja?????? Estão DESGASTANDO a Presidenta até ela Renunciar…..é o que o PMDB quer…..Daqui a pouco o Renam, que finge que está do lado do Governo, vai dar o Golpe dele……Rezemos/Oremos Muito….pois só DEUS!!!!!!!

  2. alfio bogdan disse:

    Guilherme, transcrevo de seu texto para poder argumentar tendo-o bem próximo… [“A falta de apoio popular, revelada nas pesquisas de opinião, inflam as aspirações golpistas e o desejo de poder daqueles que até ontem se diziam aliados do governo.] Embora a pesquisa de opinião revela-a de embasamento científico, fica longe da realidade que aconteceu recentemente onde 54,5 milhões de votos legitimaram como legitimam a presidenta no cargo assumido em 1º de janeiro de 2015 com validade até 2018. Querer que a pesquisa de opinião venha sepultar uma votação tão significativa é mais que um golpe.

  3. Mauro Negrette Garcia disse:

    Há quem diga que Dilma pode dar uma afastada estratégica,por um tempo, para o Temer assumir e, a oposição se acalmar… Mas, se isso acontece, acho super arriscado pq, para a estrema direita dar um chá de sumisso no Temer, e o drácula do Alcunha entrar, não custa nada…

  4. joao da rocha disse:

    Guilherme,

    No meu entender, os golpistas existem, mas em decorrencia , na maioria dos casos, da incompetencia dos nossos governantes e do poder legislativo que não cumprem o papel de procuradores delegados da sociedade. Agora, a sociedade entendeu que no regime democrático em que vivemos, ela precisa ir às ruas para reinvindicar os seus direitos. Enquanto a sociedade cobra dos governantes e legisladores, mais segurança, mais educação, mais saúde, saneamento , habitação e transporte coletivo, eles se voltam para a construção de obras faraonicas, sem projetos , sem planilhas e sem recursos alocados. A lava jato está nos mostrando que , somente na Petrobras, bilhoes e mais bilhoes de reais foram desviados. E mais, apenas como um exemplo, a usina Abreu de Lima foi orçada em 2 bilhoes de reais e o custo com a inclusão dos recursos desviados, já passa de 25 bilhoes de reais, com uma inflação que não passa, no acumulado no período de 20%. E numa infinidade de outras estatais, os desvios de recursos tambem sao fabulosos. E estamos vendo, tambem, que os responsaveis pelo aumento da inflação são a energia, o saneamento e outros serviços publico regulados pelo Governo. Logo, o que existe é uma revolta pela deficiencia do serviço e a cobrança de mais impostos dos assalariados, para cobrir um “rombo ” pagando a fatura de um serviço que nao foi prestado ou autorizado. O governo precisa reduzir o numero de ministerios, de comissionados, de alugueis. O que nao entendemos tambem é o governo achar normal os saques a mais, na Poupança, de mais de 40 bilhoes, no ano. A poupança é fundamental para qualquer país, mas recebendo remuneração nunca inferior a inflação. Se exigir o cumprimento de direitos e deveres do Estado, é golpe, é dificel entender. E a divida brasileira, em relação ao PIB, já passa de 65%. E nao seria necessário tantos beneficios para o setor automotivo, tendo em vista que brasil, china, india tem potencialmente de crescimento real e nao vegetativa. No entanto, o mais importante não é o transporte individual, mas o coletivo de qualidade.

  5. Pitagoras disse:

    Sr. Guilherme, é evidente que o regime jurídico brasileiro prevê soluções que levam ao impeachment. Interessante que Collor foi deposto por não explicar a origem do dinheiro que utilizou pra comprar uma Elba usada. Pela aparência você quase não existia nessa epoca, acho que seus comentários não estao juridicamente embasados, apenas emite sua opinião pessoal. E apear um déspota que se utilizou de dados falsos manipulado propositalmente e de forma ilegal instituições públicas de estatística para liberar o caixa para torrar irresponsavelmente dinheiro que não existia em ano de campanha e propagandear conquistas não alcançadas, além de utilizar na campanha verbas sugadas de corrupção de forma comprovada( pra vocês nunca se comprovará) está consonante com a lei e a justiça. Vá estudar ainda é novo.

  6. […] s); })(); Por Guilherme Santos Mello, Brasil Debate […]

  7. CÉLIO HOHN disse:

    De fato o Brasil está vivendo um permanente clima golpista desde o resultado das urnas do ano passado. A direita e a mídia reacionária não aceitaram o resultado e procuram o golpe.Eles contavam que fossem achar algo contra a Dilma na Operação Lava-Jato, mas não conseguiram nada até agora. Diante desse fato eles buscam através do Tribunal de Constas da União a forma de articular o golpe. O TCU é formado exclusivamente por políticos do PSDB e do PMDB, todos velhos corruptos, que conseguiram um cargo vitalício neste órgão. De fato eles tentam rejeitar as contas da Presidente Dilma de 2014. Eles utilizam as chamadas pedaladas fiscais, tanto utilizadas nas contas de FHC e aprovadas nesta semana. Não sei se o Vice_Presidente não vai ser rifado também. O PSDB quer rifar o Vice também e ali eles podem brigar. A ala Paulista do PSDB pode até querer manter o PSDB, mas o Aécio Neves quer eleições já. Vai depender como os cachorros ou os urubus vão se entender. São velhos corruptos que estão com saudade de retornar ao governo federal, pois agora querem vender a nossa pátria de vez e embolsar mais alguns bilhões de dólares como fizeram na época das privatizações do FHC. A privatização foi o maior escândalo que o Brasil já presenciou, mas claro, tinha o apoio da mídia e por isso não foi denunciado

  8. HÉLIO disse:

    Sr. Claudio Humberto, o senhor não passa de uma criatura desprezível, reacionária, adepta da teoria do caos que no desespero para manter leitores, incautos, lança mão de mentiras e de boatos infundados e sem prova alguma, não posso nem lhe tachar de coxinha, pois de fato és um coxão sem nenhum pudor no trato das questões políticas e como tal, mantém suas colunas com boataria e mentiras, com ideias mirabolantes de golpismo e só enxerga aquilo que quer ver, felizmente o senhor terá ainda pela frente muita matéria prima para suas inverdades, pois o PT continuará no poder por mais 7 anos, pelo menos, e não vai ser você ou sua coluninha de boatos que irão impedir . Meu partido está no poder, chora chorão, continue espernenado. Viva Lula, viva Dilma e viva a democracia.

  9. Eduardo J.M.Ferreira disse:

    Caro amigo eu não quero saber de partido politico nenhum, quero saber do meu país que se chama Brasil não se chama PT,PSDB,PMDB ou a PQP que sejá, sou contra a corrupção, contra obras superfaturadas em todo o Brasil, sou a favor 71% que acordou, viu que só com pão e circo não se vive, sim melhorou a renda de milhões de brasileiros mais mais ainda a deles, obras que iniciaram por um valor que já passou 4 vezes seu valor e não foram terminadas, amigo mude seus conceitos, ou fique vendo a Globo e fique com seu PT espero que seus filhos não saibam da suas atitudes, quando for provado que você ficou do lado do maior esquema de corrupção da história humana no mundo. Vá ler sobre a história estude um pouco Olavo de Carvalho. Um abraço.

    • Mauricio Kotvan disse:

      Sr. Eduardo J.M.Ferreira.
      Assim como o Sr. eu não quero saber de partido político e sim de nosso País que se chama Brasil. O Sr. percebeu que melhorou a renda dos brasileiros porém é contra a corrupção, estou 100% de acordo. Todavia o que está ocorrendo em nosso País não é apenas tal constatação (da forma como a grande mídia quer). Em pouco tempo, em diversos países ocorreram protestos populares que derrubaram (ou tentaram) governos democráticos ou não, e o Brasil passou a ser um deles. Qual o motivo? Via de regra países com petróleo ou do interesse da hegemonia americana. O Brasil, com as recentes descobertas de petróleo e ainda participando do BRICS passou a ser talvez o mais importante alvo dessa política americana. Um importante agente americano, em passagem por nosso País, solicitou a presidente Dilma a abertura de nosso setor petrolífero, logicamente recusado, pouco tempo depois começaram os manifestações e quebradeiras devido ao aumento da tarifa de ônibus em São Paulo. A grande mídia passou enegrecer a economia -que estava apenas um pouco fraca -, incitar a inflação – sempre publicando artigos que estava disparando, etc.,e logicamente a corrupção – mas somente a corrupção do PT, os demais que participaram nunca eram denunciados publicamente. Quanto aos políticos de oposição ao governo foi lamentável, foram tomar medidas para abrir o setor petrolífero aos estrangeiros – creio que seria o pagamento, no caso de participarem de um golpe, de seu governo ser reconhecido pelos Estados Unidos. Considerando tais fatos, poderia elencar outras dezenas, não sou contra a Dilma – que sempre permitiu as apurações de corrupção (em qual governo anterior houve prisões por corrupção?), pelo contrário estou a seu favor e dessa forma a favor do BRASIL. Espero que o Sr. analise estas informações para formar sua opinião a respeito.Se houver discordância favor me apresentar fatos que possam justificar a mudança de meu entendimento.

    • Viviane Costa disse:

      Olavo de Carvalho? Affffff, respeite a inteligência e o discernimento alheios! Não precisa ser muito esperto para sacar qual o papel desse verme (OdeC) no mundo e na mídia.

  10. HÉLIO disse:

    Essa vai pro golpista do CLAUDIO HUMBERTO

    Sr. Claudio Humberto, o senhor não passa de uma criatura desprezível, reacionária, adepta da teoria do caos que no desespero para manter leitores, incautos, lança mão de mentiras e de boatos infundados e sem prova alguma, não posso nem lhe tachar de coxinha, pois de fato és um coxão sem nenhum pudor no trato das questões políticas e como tal, mantém suas colunas com boataria e mentiras, com ideias mirabolantes de golpismo e só enxerga aquilo que quer ver, felizmente o senhor terá ainda pela frente muita matéria prima para suas inverdades, pois o PT continuará no poder por mais 7 anos, pelo menos, e não vai ser você ou sua coluninha de boatos que irão impedir . Meu partido está no poder, chora chorão, continue espernenado. Viva Lula, viva Dilma e viva a democracia.

  11. Lidugério da Rosa Gonçalves disse:

    Cinthya, deixa DEUS de fora, o crédito de um golpe na democracia será dos articuladores e dos inocentes úteis.

  12. Lidugério da Rosa Gonçalves disse:

    Carlos, não tua idade, mas me parece que já viveu o bastante, para ver que o golpe militar de 64 foi uma idiotice. Então não podemos apoiar outro golpe, seja em que moldes se apresentarem, em prejuízo ao Estado de Direito e da Democracia. Não sou PT, mas votei nele nas 3 últimas eleições, por falta de opções mais seguras e convinventes. Fui funcionário do BB nos governos FHC e convivi com um período de 7 anos sem reajustes salariais, para desestabilizar o funcionalismo.
    “GOLPE NÃO”

  13. walter tabax disse:

    não me assusta a matéria. Me assustam cada vez mais os comentários bilateralizados, cruéis, agressivos e julgadores. Inacreditável como de repente, a veia da raiva, do ódio e da ira estourou na cabeça deste povo que está destruindo tudo a seu redor inclusive a si mesmo. Será que não dá mesmo para se chegar a um acordo de atitude a partir de uma reflexão convergente e não divergente? Será que é mesmo uma questão que alemães não podem viver ao lado de judeus e temos que exterminar todos eles? Este pensamento vingou? Que preço o Brasil pagará por pensar assim?

  14. Cynthia Silva disse:

    Se Deus quiser.
    Eu e 71% da população esperamos ansiosamente e torcemos para que você esteja certo.

  15. Emilio Font disse:

    Que bobagem esse negócio de “Você é jovem…” Mais esse discurso pseudo responsável é o que levou a morte por fome milhões e milhões de brasileiros e brasileiras, portanto me poupem dessa ladainha genocida.

  16. Gil disse:

    Está mais provado do que nunca que o Departamento de Economia da UNICAMP é uma porcaria. Uma universidade tão boa em outras áreas.

  17. mario disse:

    Não se pode atribuir ao plano real o objetivo exclusivo de controle inflacionário. A desestatização – muitas vezes malograda e eivadas de corrupção, não investigados até hoje, também caracterizaram tal plano. Atribuir a politica de combate a desigualdades como o Bolsa Família o raciocínio simplista de “palanque eleitoral” é uma desonestidade intelectual sem tamanho, pois o programa apesar de descontroles localizados, vem cumprindo com seu papel de evitar a miséria absoluta em muitas regiões do Brasil. Quanto ao desabafo de um petista, isso não anula a falta de debate bem como a pobreza do mesmo, conforme brilhantemente explicitado por Vivane Mosé no link a seguir – https://www.facebook.com/tvbrasil/videos/10153726185757985/?pnref=story onde ela defende, exatamente, que as pessoas precisam abrir a mente, especialmente aquelas que atribuem o fim de mundo a tudo que ocorre no Brasil de hoje.

  18. Observador disse:

    A grande falácia da estabilização da inflação! Todos comungam q o Real estabilizou a moeda, só não dizer a que preço!!!
    “…Primeiro vejamos como o Plano Real funcionou. A ideia do Plano na verdade nada teve de original: depois de alinhar os preços com a URV (unidade referencial de valor, essa sim uma boa ideia), apenas atrelou a nova moeda, o real, ao dólar, praticamente ao par (um por um). Com isso houve uma súbita valorização da nova moeda, tornando os bens importados ainda mais baratos.

    O custo da manobra, no entanto, foi a imediata supervalorização da moeda, acompanhada por uma elevação das taxa de juros a níveis estratosféricos (na virada de 1994/95 chegou a 60% ao ano) para atrair dólares.

    No entanto, a taxa de inflação pós-real se manteve longe da estabilidade. Em 1995, a taxa foi de 22%, e continuou variando 9% ao ano, em média, até 2002. No primeiro governo, a inflação já tinha acumulado 43%. Somando os dois governos, o acumulado chegou a 100%. E pior, ao acabar o período, em 2002, a taxa tinha voltado a uma inflação de dois dígitos, marcando 12,5% e subindo. Só para comparar, o acumulado de oito anos de Lula foi de 56% e os quatro de Dilma chegaram a 27%…”

    http://cartamaior.com.br/?/Editoria/Economia/Reinventando-a-historia-o-mito-da-estabilidade-no-governo-FHC/7/34062

  19. Carlos Frederico Cerqueira disse:

    Prezado prof. Guilherme Melo

    bom dia.
    Costumo ler seus artigos e, na maioria dos casos, concordar com seu ponto de vista.
    Apenas para esclarecer, nas eleições do ano passado, não votei nem no PT nem no PSDB. Meu candidato era Eduardo Campos. Entendo como prejudicial ao país este verdadeiro FLA x FLU que é a disputa entre os 2 partidos citados.

    Neste artigo, porém, descordo de algumas afirmações suas. São elas:

    01) não é garantido que o PSDB integrará um possivel governo do PMDB/Michel Temer. Segundo Folha de São Paulo informa, a ala do partido ligada ao governador Alckmin não integraria este governo.
    Além disso, o próprio vice-presidente já afirmou que, em caso de assumir a presidencia, manteria o ministro Joaquim Levy.

    02) O TCU está sofrendo pressão de ambas as partes. Tanto dos congressistas favoráveis ao impeachment, quanto do governo. A temeridade é o fato de os ministros do TCU votarem com medo das manifestações de rua. A análise deveria ser 100% tecnica.

    03) As manisfestaçõe de rua, ao que tudo indica, são autonomas em relação aos partidos. Os partidos de oposição ao governo federal é que estão a reboque das manifestações e não o contrário.

    04) Não há que se falar em golpe. Se os tramites legais forem seguidos, não se configuraria um golpe. Impeachment faz parte do ordenamento juridico nacional. Chamá-lo de golpe é uma flagrante contradição.

    05) Não se pode negar que o clima de ódio e intolerância, que atualmente contamina o ambiente politico, foi incentivado principalmente pelo PT (partido no qual sempre votei, com exceção da eleição passada, quando preferi não votar e pagar a multa aplicada pelo TSE), quando exacerbava os conflitos, proprios da democracia, com o “nós contra eles”, vendo no outro não um adversário politico e, sim, um inimigo a ser destruido.

    06) Quanto ao presidente da Câmara, é lamentável que um dos poderes da Republica seja ocupado por figura tão abjeta, desqualifica e desclassificada; sem falar em sua imensa ficha corrida.

    07) Quanto ao papel da chamada grande imprensa (principalmente VEJA,ÉPOCA,ESTADÃO,GLOBO e CORREIO BRAZILIENSE) concordo inteiramente com o sr.. Há muito tempo tomou partido não apenas contra o governo federal, mas contra o PT e a esquerda como um todo; sendo, atualmente, porta-voz da direita e setores conservadores, para não dizer reacionários da sociedade brasileira.

    08) Concordo com o sr., também, quando diz que todo este desgaste/destruição do PT e seus governos levem junto a imagem do fato inequívo das grandes conquistas economicas, sociais e politicas conquistadas nos ultimos 12 anos, pela parcela mais desfavorecida dos brasileiros.

    cordialmente,

    Carlos Frederico
    Economista e Administrador pela UFBA
    Especialista e Mestre em Adm. Pública pela EBAPE/FGV-RIO

    • Guilherme Santos Mello Guilherme Mello disse:

      Caro Carlos, obrigado pelo comentário. Fico feliz em saber que tenho leitores assíduos e qualificados.

      Quanto aos comentários, concordo com quase todos. O único que tendo a discordar é o quarto, pois acredito que o impeachment, apesar de previsto na constituição, não pode ser usado ao bel prazer dos políticos, apenas para se livrar de um governante que não gostam mais. Existe a necessidade de comprovação de crimes cometidos, o que não é o caso da Dilma. Na ausência destas evidências, o impeachment deixa de ser um instrumento legal para deposição de um governante envolvido em crime, para se tornar um instrumento político para vencer disputas longe das urnas. Pode não ser um golpe no estilo militar, mas no meu entendimento, está fora de nosso ordenamento jurídico, fere a vontade revelada nas urnas e é antidemocrático. Por isso chamo de golpe. Seria diferente, é evidente, se estivéssemos em um regime parlamentarista ou onde existisse um sistema de recall, onde a saída do governante eleito está prevista em lei, mesmo que na ausência de crimes cometidos.

      Abraços cordiais,

      Guilherme Mello

    • Nathalie disse:

      Excelentes observações. Também concordo em tudo!

  20. Marcos disse:

    Não se esqueça que boa parte dos avanços que você cita ocorreram com o bolsa-família, que não foi uma criação petista, e principalmente pela elevação artificial do salário mínimo, que trouxe uma série de consequências: inflação, estouro das metas fiscais, elevação dos gastos previdenciários, etc. Nada sustentável. Avanços institucionais: zero.

    • Emilio Font disse:

      Quando interessa dizem que o PT inventou o Bolsa família, que se trata de um programa eleitoral, etc. Quando não interessa dizem que foi invenção do PSDB.

      Mas o fato é: o Bolas Família está acabando com a fome e a morte de pessoas.

      Entre a opção de acabar com a Fome a garantir a meta fiscal para pagar juros para banqueiros eu fico com a opção de acabar com a Fome.

      Simples assim.

      • Antonio disse:

        Acabar com a fome do jeito que está sendo feito é dobrar a meta da fome.

        Claro que interessa falar do Bolsa Família. A crise está tão feia que nem nisso se fala mais.
        Uma casa só pode ser construída sobre bons alicerces. E isso foi feito em uma época em que inflação mensal na casa dos 3 dígitos era questão de tempo. Por isso há muita gente que só conhece a História do Brasil a partir de 2002.
        Porque é o que lhes interessa.

  21. Adriano disse:

    Certo Carlos, o problema foi o bolsa família e o resto do mundo?

    O Bolsa família está sendo o responsável pela falência do capitalismo global também ?

    O que você me diz da crise mundial que chega agora aqui no país e olha que o Brasil está em uma posição muito melhor que muitos ai fora…

    Obrigado!

  22. Antonio Elias Sobrinho disse:

    Concordo que todo o cenário está montado para este espetáculo. Pelo menos, dois elementos vão de encontro a essas aspirações: a crise econômica, que está minando as economias e as expectativas da maioria da população e a queda de popularidade, agravada pela operação Lava-jato e pela forte carga promovida pela mídia.
    Como o PT e os principais movimentos sociais que lhe davam sustentação como a CUT, estão fragilizados, em função de seu longo processo de burocratização e de afastamento de suas bases populares, pouco poderão fazer.
    Assim, acho que se o tal processo de impedimento que se desenha for detonado tem um espaço enorme para obter sucesso.

  23. Carlos disse:

    Prezado Guilherme,

    Surpreende-me que, apesar de ser economista e com doutorado, você ainda não entendeu que os grandes avanços sociais conseguidos no governo Lula só foram possíveis graças ao controle inflacionário (que é o pior tributo dos mais pobres) conseguido com o Plano Real, preços de principais commodities no mercado internacional e as medidas corretas tomadas em 2008/9 incentivando o consumo (c/vários incentivos tributários, mas que deveriam ser temporários).

    O problema, foi fazer do Bolsa Família (sem um controle efetivo) o palanque eleitoral e uma série de medidas populistas e oportunistas que agora estão destruindo tudo o que foi conseguido pelos governos do FHC e Lula.

    Veja o desabafo de uma petista, nascida dentro de uma família petista:

    http://www1.folha.uol.com.br/colunas/tatibernardi/2015/08/1665596-como-continuar-petista.shtml

    Você é jovem, mas precisa abrir a mente, caro Guilherme!

    Cordial abraço,
    Carlos

    • Marcos disse:

      Pare com essa mania de “você é jovem, precisa abrir a mente” quando alguém mais novo pensa diferente de você.

      O autor simplesmente escreveu o que acha, você pode concordar ou não com ele, mas pare com essa empáfia de tiozão de churrasco querendo ensinar o “mais novo” a pensar do jeito que você deseja.

    • Guilherme Santos Mello Guilherme Mello disse:

      Olá Carlos,

      Vou tomar a liberdade de discordar de sua análise, particularmente em um aspecto: o problema do Brasil não foi nem é o Bolsa Família, que é um gasto irrisório dentro do orçamento federal (pequeno em volume, mas mto efetivo naquilo que se propõem, tendo sido reconhecido internacionalmente como um dos melhores programas de combate a pobreza do mundo). Nosso problema econômico atual está ligado ao fim de um ciclo de crescimento, baseado tanto no mercado interno (através do aumento da renda, do salário e do crédito) quanto externo (via exportação de commodities). Temos que superar essas dificuldades, elaborar um novo projeto de desenvolvimento e voltar a crescer, nunca esquecendo de distribuir renda e da sustentabilidade ambiental. Quanto ao cenário político atual, vc não precisa ser petista para defender a ordem democrática e o resultado legítimo das urnas. Não sou tucano, mas não defendo o impeachment de Alckmin apenas por que acho ele incompetente. Para defender a democracia, basta ser democrata, não precisa ser petista.

      • Maria Betania disse:

        Maravilhoso Comentário, Guilherme Melo. Diferente dos que escuto no Jornal da Cultura, de um tal de Antonio Vila, que se diz Historiador…..Quanto ao Alckimim, totalmente blindado por Absolutamente TODOS…..Já Haddad, coitado, por mais que faça, nunca vão emitir um comentário de apoio….E o PT fez a diferença no Brasil e para Todo o Povo…..mas querem acabar com ele…..Atire a primeira pedra quem nunca errou!!!! Agora, querer Desmerecer e Acabar com Partido que realmente promoveu inclusão Social, deu Visibilidade ao Brasil lá fora entre TANTAS outras coisas….é Cruel e Injusto. E principalmente que os Mal-Feitos dos Outros está escondido embaixo do Tapete….

Comentários