Relacionado
" />

Brasil Debate

Brasil Debate

 
Sobre Marina

Onde andará o “novo”, que anda tanto nos discursos dessa senhora?


16/09/2014

Por Zélia Duncan, no Facebook, publicado no Bem Blogado

Eu nunca entendi alguém ser contra a criminalização de um Mal. Mesmo antes dessas eleições, mesmo antes de saber o que estaríamos vivendo hoje.

Minha avó era espírita kardecista. Fazia lindas reuniões em volta de uma mesa, com amigos e familiares. Rezava , abençoava o mundo todo, todas as religiões, recebia todo tipo de gente, louvava a natureza, falava das flores, cachoeiras, matas.

Eu cresci achando que, não importaria o ritual, mas as pessoas de fé, tinham em comum, querer o Bem para todos. Eu ainda não tinha estudado nada de História, claro!

Quando pessoas que admiro, me abordaram insistentemente, para assinar a criação da Rede, eu não consegui embarcar, mesmo com tantos argumentos que me seduzem, em relação à sociedade e ao meio ambiente.

Eu dizia que eu não podia apoiar uma pessoa evangélica, pois eles sempre têm como princípio, ir contra a natureza humana e apoiam crimes contra minorias, no caso, os homossexuais.

Porque ser contra a criminalização é ser a favor da violência, da clandestinidade, que expõe e fragiliza um ser humano , que não está fazendo mal a ninguém, está apenas existindo, lutando e pagando impostos, como qualquer outro.

Alguns argumentaram ainda, dizendo que com Marina não era, não seria assim. E agora, José, Maria e João?

Onde andará o “novo”, que anda tanto nos discursos dessa senhora? Se negar a subir em palanques de A ou B, não limpa a sujeira dos caminhos, grudada na sola dos sapatos.

Alguém aqui ainda se ilude, quando qualquer um deles diz que não se mistura, que não faz isso ou aquilo? Dizer isso com jeito de santa, como se estivesse acima do bem e do mal, não faz diferença nenhuma. Os fatos estão aí.

Essa carona póstuma pode até levá-la e já a está levando, a caminhos nunca dantes navegados, mas daí a ver nisso um sinal, vai muito, mas muito longe.

É como torcer pra um time e na hora do jogo, se aboletar na torcida adversária, mas com ressalvas a certos gritos de guerra, que vão contra sua religião.

Não sei ainda o que vai ser do meu voto, mas nessa rede, caio não.

Bom dia, gente e vamos nos cuidar, que a coisa aqui no Rio também anda bem feia em termos de escolhas, cruz credo!

 

 

Clique para contribuir!

Comentários