Recuperar o lazer e o esporte nas ruas pode fortalecer o nosso futebol. Além de tornar a vida nas cidades muito mais solidária, segura, agradável (na foto de Caio Vilela, futebol de várzea em São Paulo).
" />

Brasil Debate

Brasil Debate

Wagner de Alcântara Aragão

É jornalista e professor. Mestre em estudos de linguagens. Licenciado em geografia. Bacharel em comunicação. Mantém e edita a Rede Macuco

 
Wagner de Alcântara Aragão

O sonho do hexa passa pela volta do nosso futebol. Às ruas

O futebol de rua, de várzea, suburbano, é elemento da identidade nacional brasileira. É a ponta do cordão umbilical que nos une à nossa seleção. E que anda sufocado pela especulação imobiliária e pelo adensamento urbano

25/07/2018

Concordamos com a maior parte das soluções apontadas pela crônica esportiva para colocar a seleção brasileira de novo no topo do futebol mundial, depois de mais uma campanha decepcionante em Copa do Mundo. Precisamos, sim, reencontrar nossas raízes; investir na base, reformular elenco, rever critérios de convocações, atualizar calendário, fazer uma limpa na administração do esporte.

Mas, para além das medidas que busquem resultados pragmáticos para o escrete canarinho, consideramos que o resgate do futebol brasileiro passa também pela retomada da cultura da prática desportiva em locais públicos, fazendo parte da rotina das nossas cidades. As nossas ruas, praças e parquinhos precisam voltar a ser ocupados por meninos e meninas brincando – de jogar futebol, ou qualquer outra brincadeira.

Isso não dispensa, evidentemente, a prática esportiva como integrante do currículo escolar. Nem os investimentos em centros de formação de formação de atletas – das escolinhas aos clubes de alto rendimento.

O assunto aqui e agora é outro. Estamos a tratar da necessidade de resgate de espaços e momentos da vida urbana dedicados ao lazer. Da importância de as nossas cidades contarem com praças, quadras, ruas fechadas para o tráfego de veículos para serem utilizadas pela comunidade para sua diversão, como lugares de convivência coletiva. De uso público, livre, gratuito. A qualquer hora do dia. Em qualquer dia da semana.

O futebol de rua, de várzea, suburbano, é elemento da identidade nacional brasileira. É a ponta do cordão umbilical que nos une à nossa seleção. Que alimenta – com torcida, energia, vibrações – o esquadrão que nos representa mundo afora. Essa ponta está fragilizada. Sufocada pela especulação imobiliária, pelo adensamento urbano que privilegia o transporte individual, os condomínios fechados, em detrimento da vida em sociedade.

Recuperar o lazer e o esporte nas ruas pode fortalecer o nosso futebol. E, sem dúvida, torna a vida nas cidades muito mais solidária, segura, agradável.

Crédito da foto da página inicial: Caio Vilela/Fotos Públicas

 

 

Clique para contribuir!

Comentários