Segundo o autor, não é verdade que o Brasil está com a economia estagnada e crescendo menos do que a maioria dos países. Entre as 10 maiores economias do mundo, o País, que é a 7ª, só cresce menos que Índia e China.
" />

Brasil Debate

Brasil Debate

Emilio Chernavsky

É doutor em economia pela USP

 
Emilio Chernavsky

O Brasil tem mesmo crescido menos que o resto do mundo?

Enquanto opiniões de analistas afirmando que o Brasil é um dos países que menos crescem no mundo são divulgadas continuamente, se oculta que, das 10 maiores economias do mundo, entre as quais a brasileira, apenas Índia e China têm crescido mais

Nos últimos meses, têm sido continuamente veiculadas opiniões de analistas afirmando que o País seria um dos que menos crescem no mundo.

Certamente, em meio à maior crise internacional desde os anos 1930 e ao aumento da incerteza gerado pelo processo eleitoral e pela forma com que ele é noticiado, existem problemas reais e a situação econômica em 2014 não é mesmo das melhores. Mas, seria isso suficiente para justificar aquelas afirmações?

Defende-se aqui que não. Isto porque, se nos últimos anos o Brasil tem de fato crescido abaixo da média dos emergentes, progrediu em ritmo similar ao da média global e acima da média dos países desenvolvidos.

Sugere-se também que a comparação do crescimento brasileiro com o de outras economias sul-americanas, muito menores e menos diversificadas, é totalmente inadequada, o que não impede que ela venha sendo amplamente propalada.

Enquanto isso, se oculta que, das 10 maiores economias do mundo, entre as quais a brasileira, apenas a Índia e a China têm crescido significativamente mais que ela.

Mas não somente o Brasil cresce em linha com a média global e acima da média dos países desenvolvidos.

Como mostram os gráficos a seguir, elaborados a partir dos dados do World Economic Outlook do FMI de outubro/2014, ele também tem crescido de forma muito similar à média dos emergentes quando dela retiramos um único país, a China, situação que se manteve, inclusive, após a eclosão da crise global.

graficos crescimento acumulado PIB

Ou seja, longe do que se poderia pensar a partir da cobertura da imprensa, o desempenho da economia do País, de fato muito modesto, não está em absoluto descolado da economia global. Isso contrasta fortemente com os anos 1990, quando o Brasil crescia não somente menos que as economias emergentes, mas até mesmo menos que as desenvolvidas, o que apenas começou a mudar em meados dos 2000.

graficos mais crescimento PIB

A superação dos problemas e a retomada do crescimento requerem o conhecimento da situação real do País. Não ajuda, nesse sentido, a difusão da imagem de uma economia paralisada em um mundo em clara recuperação, que de forma alguma corresponde à realidade.

Clique para contribuir!

8 respostas to “O Brasil tem mesmo crescido menos que o resto do mundo?”

  1. RAFAEL disse:

    Quais são os países considerados emergentes nos gráficos?

  2. Victor disse:

    Dois comentários:

    1) A comparação do Brasil com o mundo ao longo de todo o governo PT não faz sentido já que durante o período há dois momentos claramente distintos: o pré 2008 e o pós 2008. Não apenas as regras do jogo mudaram depois da crise como também a política econômica brasileira mudou completamente. No segundo mandato do governo Lula adotou-se a nova matriz econômica, de viés altamente heterodoxo. Portanto qualquer comparação deve ser feita em dois períodos de maneira a captar as mudanças ocorridas no cenário.

    2) Nos países ricos a renda per capita não apenas é muito maior do que a brasileira como a produtividade do trabalho também é. Nosso potencial de crescimento é, portanto, muito maior do que o deles. Ainda que eu entenda que a economia brasileira é mais diversificada que as economias dos nossos vizinhos, continuo achando que a comparação com as economias desenvolvidas é absurda.

  3. carlos silveira disse:

    Hildete, o “já está bom” e o “está pior” introduzem avaliações inteiramente subjetivas. Você a viu no texto. Eu vejo no teu comentário. O que há é uma guerra política. Nos apoiadores de aecio, como no manifesto de economistas, escolheram países a dedo: Peru, Chile, Colômbia, e até o México que não está nada bem em qualquer sentido – economia e direitos humanos. Aqui o artigo reequilibra as coisas e introduz o tema da continentalidade da economia e da justa comparação. Está bem o país? Há problemas sim, mas o desemprego é o menor da história registrada. Aí aparece outro componente. Para os apoiadores de aecio não há crise internacional. Então tudo que acontece em nossa economia é culpa do governo, ponto. Mas os números não enganam. Há crise sim que agora atinge a China, sob a forma de uma redução do crescimento. Outra coisa que envolve uma discussão mais funda: O maior problema nosso, sendo breve, e obviamente na minha opinião, vem da falta de competividade da indústria. Razões fundamentais: juro alto, mas principalmente cambio valorizado; claro há outras coisas, por favor, inovação e por aí. Mas o central é o modelo de tripé, ainda seguido por Dilma. Mas seu candidato Aécio, não vai mudar isso, vai, pelo contrário, aprofundar.

  4. Yuri Autran disse:

    Acho que não Hildete, o que o autor quis realmente fazer foi um contraponto ao que a mídia está amplamente divulgando. Em nenhum momento ele disse que o crescimento estava bom, muito pelo contrário, vide os dois últimos parágrafos.

  5. Rodrigo disse:

    Coisa importante é que durante o governo PSDB, o Brasil perdera posições no ranking das economias mundiais. Perdera inclusive o primeiro lugar na América Latina para o México. Isso porque o México tivera em 1994 uma das piores crises econômicas de sua história.

  6. Hildete Vodopives disse:

    Então segundo seu ponto de vista: crescer acima da média do mundo já está bom? Comparar com os emergentes não faria mais sentido? O fato de nos últimos meses, o crescimento ter sido varias vezes revisado para baixo não são sinais preocupantes? MInha visão é que o Brasil está indo pior do que poderia, comparando com seu proprio potencial de crescimento. Fruto de falta de investimentos e de condições para melhorar a competitividade das empresas brasileiras. (em poucas palavras).

    • Rubens Marinho disse:

      O crescimento do Brasil foi comparado ao mundial médio, assim como ao crescimento dos emergentes (sem a China). Está tanto nos gráficos quanto no texto.

Comentários