E o Brasil é o quarto país que mais produz e utiliza energia renovável. Foram, em 2012, 121 milhões de toneladas equivalente de petróleo (de fontes renováveis, atrás da China (311), da Índia (199) e dos Estados Unidos (129 ).
" />

Brasil Debate

Brasil Debate

 
Fernando Brito

O Brasil avança na energia eólica, mas você não lê

Publicado no Tijolaço em 15-12-2014

energiaeolica1

Os jornais gostam sempre de colocar o Brasil nas desgraçadas posições que ocupamos em rankings mundiais.

Mas são bem avaros quando se trata de mostrar nosso progressos.

Pois saiu o ranking mundial de energia.

E o Brasil é o quarto país que mais produz e utiliza energia renovável. Foram, em 2012, 121 milhões de toneladas equivalente de petróleo (de fontes renováveis, atrás da China (311), da Índia (199) e dos Estados Unidos (129 ).

Entre os grandes produtores, disparado, a maior quantidade de energia renovável per capita.

Na geração eólica, o País subiu cinco posições, passando de 20º em 2012, para 15º em 2013.

Um exemplo do que isso quer dizer:

No dia 14 de dezembro de 2009, uma sexta-feira, foram gerados 112 megawatt médios com usinas e eólicas, ou 0,22% dos 59 mil MWmédios produzidos no dia.

No mesmo dia, em 2012, foram 381 MWmed, ou 0,8% da produção elétrica nacional, de 64.400 MWmed.

Sexta-feira, último dia útil medido, foram 1.739 MWmed, ou 2,45% dos 67.900 MWmed produzidos no total.

E isso vai subir muito, até 2017, com as 530 usinas eólicas, somando 12.895 MW de potência instalada, inscritas no último leilão de venda de energia.

O Brasil precisa de hidroelétricas não por não estar investindo em fontes alternativas, como a eólica, mas porque precisa de volumes de energia imensos.

E porque, além disso, a energia eólica é inconstante e a produção pode ficar entre 0 e 100% da capacidade instalada, numa média de 40% alcançada aqui, um ótimo índice em relação ao mundo.

Quem não entende como os países ricos demonizam nossos projetos energéticos, considere o seguinte: a economia brasileira , em média, é 1,25 vezes menos intensa em emissões de carbono que a economia europeia, 2 vezes menos que a economia americana e 4 vezes menos que a economia chinesa.

Clique para contribuir!

Comentários