Brasil Debate

Brasil Debate

Pedro Rossi

É professor do Instituto de Economia da Unicamp, diretor do Centro de Estudos de Conjuntura e Política Econômica da Unicamp e coordenador do Conselho Editorial do Brasil Debate.

 
Pedro Rossi

Cordialidade e deselegância de Mansueto no debate público

mascaras1Cheguei à Unicamp tecendo elogios ao economista Mansueto de Almeida por sua cordialidade antes, durante e depois do debate na TV Câmara em Brasília, no programa Expressão Nacional. Identifiquei em sua atitude um sinal de respeito às nossas divergências políticas e teóricas. Mas agora me confesso em dúvida.

Recebi um texto que Mansueto publicou em seu blog que mostra uma queda do investimento e contrasta com uma suposta garantia minha de que o contrário era verdadeiro: “o professor Pedro Rossi da Unicamp me garantiu que o investimento havia crescido”.

Confesso que não entendi o sentido dessa crítica que me parece deselegante porque insinua que eu sou um economista do tipo que garante inverdades. Ainda mais se tratando de um debate ao vivo, acalorado pela presença de dois deputados de campos opostos, onde erros e mal-entendidos são comuns.

Na ocasião Mansueto afirmou que “a taxa de investimento total da economia brasileira nos últimos quatro anos caiu”. Tentei ponderar afirmando que “depende do indicador”, se em dados correntes ou constantes, e ele me respondeu, cordialmente, que os indicadores do IBGE mostram queda nos dois casos.

Pois bem, pelos dados das contas nacionais trimestrais do IBGE (valores encadeados a preços de 1995) pode-se mostrar que a taxa de investimento (FBCF/PIB) média dos últimos quatro anos, 19,9% (que exclui o último trimestre de 2014, pois ainda não foi divulgado pelo IBGE), foi maior do que a taxa de investimento média do segundo governo Lula, 18,9%. Ou seja, a taxa de investimento média foi maior em Dilma1 do que em Lula2 e também maior do que em Lula1 (15,8%) e FHC2 (17,1%),  considerando preços constantes.

Vale notar ainda que foi  no governo Dilma o maior patamar dessa taxa na história recente, 20,7% em 2011, que caiu em 2012 (19,7%), voltou a subir em 2013 (20,2%) e novamente caiu em 2014 (18,8% de média dos três primeiros trimestres).

Clique para contribuir!

No decorrer do debate, quando entendi que Mansueto estava se referindo à comparação entre os anos de 2010 e 2014, últimos anos de Lula e Dilma, disse “você tem toda razão” e passei a discutir outro tema.

Esse mal entendido poderia ter sido resolvido facilmente por meio de trocas de mensagens pessoais, mas Mansueto optou pela exposição pública com insinuações inadequadas.

Entendo que a discussão de ideias deve ser feita abertamente e que dados e números devem ser esclarecidos e divulgados, mas não entendo essa necessidade de fazer insinuações sobre quem pensa diferente à posteriori de um debate presencial.

Na falta de respostas, prefiro ficar com a imagem do Mansueto que encontrei em Brasília em detrimento do Mansueto blogueiro virtual. O primeiro é extremamente cordial já o segundo, me pareceu deselegante.

O debate está disponível no link: http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/tv/materias/EXPRESSAO-NACIONAL/482014-QUAIS-OS-REFLEXOS-POLITICOS-E-ECONOMICOS-DO-AJUSTE-FISCAL-NO-SEGUNDO-MANDATO-DILMA.html

 

Clique para contribuir!
Share

4 respostas to “Cordialidade e deselegância de Mansueto no debate público”

  1. Andretti Ayala de Souza Lemos disse:

    Bom, primeiro, queria agradecer os esclarecimentos sobre economia, sou amante da economia, sou cientistas social e político, professor de sociologia e, acadêmico de Ciências Econômicas ambos pela Federal do Sul e Sudeste do Pará UNIFESSPA, adorei o debate entre os dois economistas Pedro Rossi e Masueto.
    Debate construtivo e esclarecedor sobre os rumos da política econômica do nosso país. Estou compartilhando no meu facebook, pois o considero educativo aos leigos.
    Obrigado Pedro Rossi, gostaria de ficar informado de suas postagens, grato pela oportunidade.

  2. Pedro Rossi Pedro Linhares Rossi disse:

    Esse comentário do Mansueto foi muito cordial. Da minha parte, o objetivo dessa nota foi esclarecer o mal-entendido em torno dos dados de investimento e manifestar meu incômodo com seu post, que me pareceu descuidado em algumas passagens. No mais, aceito suas desculpas, também me retrato de possíveis ênfases e exageros, e espero reencontrá-lo em outros de debates.

  3. Adriano disse:

    O Mansueto reagiu no blog dele:

    “Obrigado emerson pelo excelente esclarecimento. Me mandaram agora a resposta do Pedro e não quis ou tive a intenção de ofende-lo e pensava que com o post estava continuando o debate. Tenho muitos amigos na Unicamp. Fico triste que ele tenha achado o tom do meu post deselegante. Se fui, peço desculpas. Se há uma coisa que admiro e acho positivo no Brasil são pessoas que pensam diferentes e podem debater de forma civilizada. Eu adorei ter conhecido o Pedro e escutar os seus argumentos. Vou depois colocar dados a preços correntes.”

  4. Josivan Reis disse:

    Foi muito elegante da parte do autor usar a palavra “deselegante”. A atitude desse Mansueto tá mais pra oportunismo!

Comentários