Relacionado
" />

Brasil Debate

Brasil Debate

 
21 milhões de pessoas no mundo

Combate à escravidão moderna e os presidenciáveis

Segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT), 21 milhões de pessoas estariam submetidas a trabalhos forçados, seja por tráfico de pessoas, escravidão por dívidas ou trabalhos em condições análogas à escravidão no mundo.

Mulheres e meninas representariam 11,4 milhões dessas vítimas (55%) e o trabalho forçado teria gerado cerca de US$ 150 bilhões de lucros ilegais ao ano no mundo, sendo os lucros mais altos na Ásia (US$51,8 bilhões) e nas ditas economias desenvolvidas (US$46,9 bilhões). Esse valor total seria repartido segundo o gráfico abaixo:

pizza lucro trabalhos forçados

Casos de escravidão moderna têm sido divulgados na mídia no Brasil, especialmente de estrangeiros submetidos a condições análogas às de escravos em grandes centros urbanos, mas também é frequente em regiões rurais.

Relatório do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) sobre o tráfico de pessoas no Brasil, relacionado ao trabalho escravo, mostra que foram registrados, entre os anos de 2000 e 2013, 1758 casos de tráfico de pessoas.

pizza casos registrados

No entanto, apesar da comprovada importância humanitária da necessidade do combate ao trabalho escravo, o candidato Aécio Neves (PSDB) não assinou compromisso para combatê-lo.

Por outro lado, com Dilma, ocorreu a aprovação da PEC do Trabalho Escravo, que prevê expropriação de terras onde for encontrado trabalho análogo à escravidão, bem como outras políticas de combate: existe, desde 2006, sob a coordenação da Secretaria Nacional de Justiça do Ministério da Justiça, da Secretaria de Direitos Humanos (SDH) e da Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM), a Política Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas. Em maio de 2013, o Ministério da Justiça e a UNODC no Brasil lançaram a Campanha Coração Azul, contra o tráfico de pessoas.

Aponta-se, portanto, que há mais ações concretas por parte de Dilma Rousseff no enfrentamento ao trabalho escravo.

Clique para contribuir!

5 respostas to “Combate à escravidão moderna e os presidenciáveis”

  1. […] já abordado no Brasil Debate (ver Combate à escravidão moderna e presidenciáveis), em pleno século 21 o trabalho escravo continua sendo um problema no […]

  2. […] já abordado no Brasil Debate (ver Combate à escravidão moderna e presidenciáveis), em pleno século 21 o trabalho escravo continua sendo um problema no […]

  3. Glória Maria Ribeiro Sousa disse:

    Dados impressionantes. A região Sudeste a que mais pratica esse tipo de crime!

  4. […] Combate à escravidão moderna e os presidenciáveis […]

  5. […] Combate à escravidão moderna e os presidenciáveis […]

Comentários