Segundo estudo de 2012, foram registradas pelo poder público 3.084 denúncias de 9.982 violações relacionadas à população LGBT, envolvendo 4.851 vítimas e 4.784 suspeitos. Em relação a 2011 houve um aumento de 166,09% de denúncias e 46,6% de violações, quando foram notificadas 1.159 denúncias de 6.809 violações de direitos humanos contra LGBT.
" />

Brasil Debate

Brasil Debate

 
Direitos humanos

A violência homofóbica em números

No Brasil, existe uma persistente violação de direitos humanos de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBTs). Entende‐se por homofobia o preconceito ou discriminação (e demais violências daí decorrentes) contra pessoas em função de sua orientação sexual e/ou identidade de gênero presumidas, que possui um caráter multifacetado e abrange mais do que as violências tipificadas pelo código penal.

No entanto, o termo homofobia é constantemente problematizado em decorrência de sua possível homogeneização sobre a diversidade de sujeitos que pretende abarcar, podendo tornar invisível violências e discriminações cometidas contra lésbicas e transgêneros (travestis e transexuais).

Os dados mais recentes disponibilizados pela Secretaria de Direitos Humanos (SDH) da Presidência da República sobre a violência homofóbica são de 2012. As análises foram feitas essencialmente a partir dos dados provenientes do Disque Direitos Humanos (Disque 100) da SDH: as estatísticas analisadas referem‐se às violações reportadas, não correspondendo à totalidade das violências ocorridas cotidianamente contra LGBTs.

Segundo o estudo, em 2012, foram registradas pelo poder público 3.084 denúncias de 9.982 violações relacionadas à população LGBT, envolvendo 4.851 vítimas e 4.784 suspeitos. Em relação a 2011 houve um aumento de 166,09% de denúncias e 46,6% de violações, quando foram notificadas 1.159 denúncias de 6.809 violações de direitos humanos contra LGBTs, envolvendo 1.713 vítimas e 2.275 suspeitos, conforme tabela abaixo:

tabela homofobiaApesar da subnotificação, os números apontam grave quadro de violências homofóbicas no Brasil: no ano de 2012, foram reportadas 27,34 violações de direitos humanos de caráter homofóbico por dia. A cada dia, durante o ano de 2012, 13,29 pessoas foram vítimas de violência homofóbica reportada no País.

Entre as vítimas das denúncias, em que pese os altos índices de desconhecimento sobre a identidade de gênero das mesmas, 60,44% foram identificadas como gays, 37,59% como lésbicas, 1,47% como travestis e 0,49% como transexuais.

grafico homofobia 1

Já o gráfico a seguir mostra o grande percentual de vítimas na faixa etária de 15 a 29 anos, com concentração de 18 a 29 anos.

grafico homofobia 2

Em 2012, os dados mostram que 58,9% das vítimas conheciam o agressor e que o local mais frequente de agressão é a casa (38,6%), seguido da rua (30,8%).

grafico homofobia 3

Já o gráfico a seguir mostra o perfil das violações denunciadas em 2012, com destaque para a violência psicológica e a discriminação.

grafico homofobia 5

Tanto na análise do crescimento das ocorrências como dos números absolutos, é importante considerar a questão da subnotificação dos casos, seja porque as vítimas se sentem intimidadas ou por despreparo dos agentes públicos. No entanto, os dados mostram a importância da criminalização da homofobia e da educação para a igualdade, a fim de que a violência homofóbica no Brasil possa ser enfrentada em todas as suas formas.

Clique para contribuir!

9 respostas to “A violência homofóbica em números”

  1. Thays da Silva disse:

    É inacreditável ver um percentual de agressões contra os LGBT’S tão alta. Falam de humanidade mas muitas vezes não incluem essas pessoas que também tem seus direitos e que são como nós. É ridículo o preconceito, a discriminação e até mesmo exclusão pelo fato de você ser gay, lesbica , travesti, bissexual, enfim. As pessoas parecem ter perdido o valor.

  2. […] O Brasil, em 2012, registrou 44% de todos os casos de homofobia letal (homicídio motivado pela orientação sexual da vítima) das Américas, segundo Gorisch. Em 2012, a maioria das vítimas foram jovens gays entre 15 e 29 anos, de acordo com a Secretaria de Direitos Humanos (SDH) da Presidência da República. […]

  3. […] Brasil, em 2012, registrou 44% de todos os casos de homofobia letal (homicídio motivado pela orientação […]

Comentários