Segundo o autor, a ideia rasa do “fora Dilma e leve o PT junto”, esbravejada por parte da sociedade, tomou uma forma real na figura do presidente da Câmara, Eduardo Cunha. Ele se utiliza da insatisfação preguiçosa da população para barrar o avanço efetivo da nossa democracia.
" />

Brasil Debate

Brasil Debate

Tadeu Porto

Engenheiro eletricista e mestre em Engenharia Elétrica pelo Cefet-MG, é petroleiro e diretor do departamento de formação do sindipetroNF. É colunista do Brasil Debate

 
Tadeu Porto

A saga da alma penada antipetista

Se as mazelas são concentradas numa só instituição, ao combatê-la somente se tem a falsa sensação de dever cumprido. Com isso, toda uma estrutura viciada ganha sobrevida para continuar os malfeitos. Para grandes atores como a mídia, o mercado e a oposição, o raciocínio monoargumentativo “fora Dilma/PT” é extremamente vantajoso

21/07/2015

O antipetismo é fruto de uma postura covarde e corriqueira: fulano quer criticar a República na figura do Partido dos Trabalhadores, mas se esquiva dos juízos acerca de outras agremiações, pois se considera “apartidário”. Em suma, quer que a dialética das discussões nacionais gire em torno exclusivamente do PT numa total incoerência com nosso sistema atual.

Eu mesmo fazia algo semelhante aos meus cinco anos de idade, quando brincava de pega-pega. Aqui em Minas a gente chama essa tática de “estar de altas”: você pode abdicar das regras do jogo a qualquer momento, dizendo, no melhor do mineirês, “tôdi altas”.

Obviamente, as crianças deixam para usar essa tática quando estão em perigo e, embora essa estratégia tenha o lado positivo da inclusão, nada mais ético e justo que ela seja deixada de lado quando os jovens alcançam a capacidade de competir de igual para igual.

Aparentemente, nossos eleitores participam dos processos eleitorais com uma estratégia semelhante a estar de altas, apesar de cada um ter o mesmo poder de voto. O que nos leva a um pleito distorcido no qual petistas são atacados, mas, quando tentam contra-argumentar, mostrando outras mazelas institucionais, acabam sendo ignorados e o debate verossímil não avança.

Existe uma grande ironia nisso, pois, os “apartidários” têm votos bem definidos e participam do processo de maneira firme e concreta (o whatsapp não me deixa mentir). Ou seja, vou negar até a morte que sou PSDB (só um exemplo, viu?!) e assim vou fugir de um trem de acusações – usando o mineirês de novo, mas dessa vez tem sentido literal – contudo, no dia da eleição, estarei com a disposição de um José Sarney para apertar o 45.

Considere, por exemplo, cinco crianças brincando de pega-pega (pegadores x fugitivos): PieTro, DEMosténes, PriScila Borges, PriScila De Brito e PaMela De Brito. Imaginem que o PieTro era fugitivo e foi pego. Agora, como pegador, toda vez que o ele chega perto de tocar alguém, a vítima em potencial grita “estou de altas”. Injusto não é?

Reparem, porém, que o debate sobre nosso sistema político se parece muito com esse cenário: quem nunca escutou “estou nem aí pra Arruda ou Azeredo” ou “tenho lado nenhum, só tem bandido e nenhum partido presta”, para depois ouvir “então, como estava falando, o Luladrão continua… ”

É fácil destacar pelo menos um grande problema nessa distorção, péssimo para o avanço natural da nossa democracia. Se as mazelas são concentradas numa só instituição, ao combatê-la somente, se tem a falsa sensação de dever cumprido. Com isso, toda uma estrutura viciada ganha sobrevida para continuar os malfeitos, pois nunca estará em foco. Por isso que grandes atores da política, como a mídia, o mercado e a oposição fomentam sem o menor pudor o raciocínio monoargumentativo “fora Dilma/PT” para tentar manter a lógica atual, extremamente vantajoso para eles.

Um exemplo disso está nas práticas de um dos políticos mais habilidosos e oportunistas do país, o presidente da Câmara Eduardo Cunha.

Observem que o pupilo de PC Farias sempre reage as manifestações contra ele colocando a culpa no Partido dos Trabalhadores. Foi assim quando: (1) foi recebido com protestos na Paraíba; (2) criticou a posição da CUT frente ao PL 4330; (3) deu uma entrevista ao programa pingo nos is, culpando somente o PT pela crise nacional e (4) atacou a OAB por questionar as suas manobras.

Ademais, num movimento mais recente, imputou à presidenta e ao PT o fato de ter sido denunciado pelos também lobistas Júlio Camargo e Alberto Youssef, ignorando bisonhamente que todos os grandes partidos estão envolvidos em delações. Em sua entrevista de “rompimento” (como se alguma vez tivesse sido governo) bateu duro no partido da Dilma utilizando, inclusive, aquela falácia do “eles sabiam de tudo” que só encontramos no submundo da sujeira, ou seja, na Veja.

E dentro do anseio de manter o sistema como está, com os mesmos setores financeiros e políticos no comando, a estratégia do presidente da Câmara é exitosa, há de se confessar. Com o ódio ao PT aflorado, ele conseguiu, com manobras nada republicanas, aprovar o cerne da manutenção do poder pelo mercado financeiro que é o financiamento privado de campanha, onde empresas patrocinam políticos por trocas de favores.

Cunha é apenas um exemplo desse método nefasto e maniqueísta de se levar o debate apenas para um lado, dentro de um octógono de possibilidades. Numa democracia recente, é natural que as forças políticas se excedam, portanto, devem-se pensar correções sistematicamente. Todavia, fica impossível construir uma maneira ótima de evoluir analisando apenas uma ou duas variáveis do processo.

O pior é que o deputado carioca se trata de uma marionete facilmente descartável, portanto mais relevante que combatê-lo seria construir ações progressivas mais concretas como uma constituinte exclusiva para uma reforma política com a cara do povo, a democratização das mídias e novas políticas que diminuam a desigualdade, como taxação de grandes fortunas e heranças.

Por fim, fica a dica: nem que a alma penada suba a Serra ou Caia do precipício, ela vai fazer uma busca Geral do nosso espectro político e encontrar outro corpo para encarnar e tentar combater a revolução social que o Brasil tanto deseja. Sendo assim, cabe a nossa população valer-se de novas práticas para participar da política com mais razão e ética. Chegou a hora de crescer e condenar a tática de “estar de altas”.

Clique para contribuir!

6 respostas to “A saga da alma penada antipetista”

  1. Cristiano disse:

    Cara!
    É isso!
    A falácia do apartidarismo tá fazendo estragos enormes ao país.
    E pode ser uma simples questão de retificação filosófica do conceito.
    Temos que emitir uma carta aberta, hoje ainda, rs.
    Obrigado pela luz,
    fico à disposição
    abraço

  2. Fred disse:

    hehehe…O comentário do silvio, em fanático e monocórdio tom anti-petista, foi a confirmação perfeita do texto de Tadeu Porto.

    Ele passa, serelepe, de uma série de decoradas “injurias chavões”, como: “corja, flagrante delito, infame petista, associação criminosa com outras ratazanas não menos asquerosas…”

    Para uma série de desinformações mentirosas, (des)temperadas com uma boa dose da ódio e fanatismo fanfarrão, que só podem ser classificadas como sendo uma “política de mentiras”…

  3. Azrael Marco Antônio Lula disse:

    Parabéns ao Silvio, porque pra chegar as “conclusões” que ele chegou tem que ter vivido e conhecido apenas a história de Marte!

  4. Marcos Paulo Pereira disse:

    Não querer ou se negar a discutir que nos pertence, não reconhecer que a direita brasileira saiu do poder a menos de 13 anos, nesse longo período o que fizeram, e o que o PT com toda problemática fez pelo país, com tudo isso colocar a culpa das questões nacional no Partido dos Trabalhadores é ação de “fascistas”.

    • silvio disse:

      é engraçado ver como a pseudo-esquerda (PT, juntamente com sua corja de ex-apoiadores repentinamente arrependidos), se defende, toda vez que se sentem acuados por terem sido descobertos em flagrante delito.
      na ótima infame petista “tudo vale”, desde que se diga que foi feito em nome do povo.
      O PT (em associação criminosa com outras ratazanas não menos asquerosas) vocifera aos quatro ventos, uma ideologia progressista que nunca sai do papel (a não ser em seu viés mais raso e assistencialista).
      O PT só se elegeu devido à absoluta incompetência e pusilaminidade da Direita brasileira. Tudo do qual a PT tanto se orgulha não passa de arremedo de políticas de Direita aplicadas desde antes do PT assumir o Poder.
      Você duvida?
      Política econômica: basta olhar a cartilha que seguem os ministros da Fazenda da Sra. Dilma: mais neoliberal que isso impossível. FMI, imperialistas e capitalistas do Tio Sam nunca estiveram tão felizes como hoje, em pleno “desgoverno progressista petista”.
      Plano de desenvolvimento: vide PPPs e PACs, com financiamentos escandalosos via BNDES, que não passam de arremedos de modelos de terceirização e privatização disfarçados de programas de investimento… “socializando despesas e privatizando os lucros”Programa de Distribuição de renda: não conseguem ir além da institucionalização da compra de votos, vulgo bolsa Família, que por sua vez, não passam de cópias vagabundas dos seguintes Programas do PSDB:
      – Programa Nacional de Renda Mínima vinculada à Educação – Bolsa Escola (Lei nº 10.219, de 11 de abril de 2001 – Governo Fernando Henrique Cardoso),
      – Cadastramento Único do Governo Federal (Decreto nº 3.877, de 24 de julho de 2001 – Governo Fernando Henrique Cardoso,
      – Programa Nacional de Renda Mínima vinculada à Saúde
      – Bolsa Alimentação (Medida Provisória nº 2.206-1, de 6 de setembro de 2001 – Governo Fernando Henrique Cardoso),
      – Programa Auxílio-Gás (Decreto nº 4.102, de 24 de janeiro de 2002 – Governo Fernando Henrique Cardoso)
      além da ideologia maquiavélica de que “os fins justificam os meios” e da surrada falácia “o PT não inventou a corrupção”, ainda estou aguardando que os petistas apontem ao menos um argumento válido que justifique não serem varridos do cenário político nacional.
      oportunistas como Eduardo Cunha, Bolsonaro, Sarney, Collor, Calheiros e demais ratazanas associadas só existem porque foram fartamente nutridas pelo PT, com suas alianças malditas e nefastas.
      Vocês venderam a alma ao diabo para chegarem onde estão. Agora o diabo bate às suas portas para cobrar seu preço.
      Bem feito prá vocês!
      Desculpe, Sr. Tadeu Porto, mas o Senhor vai ter que melhorar muito seu discurso para conseguir enganar mais alguém

      • Tadeu Porto Tadeu Porto disse:

        Prezado Sr. Silvio,

        Começando pelo fim, a intenção aqui nunca é enganar, ludibriar ou impor alguma opinião… Não sei se você chegou a notar, mas esse site leva em seu nome o objetivo proposto: o debate de idéias que culminam, ou não, para entendimentos que sejam bom para o páis. A dialética é assim e, por isso, o seu comentário é bem vindo! 🙂

        Em primeiro lugar, o seu texto já começa com um reducionismo clássico que traz mazelas que já apontei no meu texto: qual o seu embasmento para fazer com que PT e “pseudo-esquerda” sejam a mesma coisa? Qualquer debate coertente teria de fazer um apanhado dos partidos ditos de esquerda do país (PSB, PPS, PCdoB e o próprio PSDB) para tentar elencar os mótivos que os fazem seguir políticas de direita. Obviamente, colocando só o PT nesse bolo, seu discurso ajuda a fomentar o ódio focado e um partido e, daí em diante, as consequencias são como coloquei no texto.

        Em segundo lugar, concordo que o segundo mandato da Dilma deu uma guinada neoliberal, entretanto, gosto de análises mais profundas e, nesse sentido, é impossível negar que o primeiro governo da presidenta foi uma tentativa bem mais a esquerda. Afinal, você não abaixa a taxa de juros a níveis históricos, faz banco público derrubar spread e garante recorde mínimo de desemprego só com políticas de livre mercado. Por isso, um diagnóstico do governo do PT é muito mais complexo do que simples linhas e não me surpreende que você tente fazer isso aqui com o discurso tão enérgico, pois no cerne do meu argumento existe justamente essa ira (do tipo “vocês venderam a alma ao diabo”) única e exclusiva ao partido dos trabalhadores.

        E sobre políticas como o BF, mais uma vez a sua verificação é superficial… Poderia escrever muitos textos sobre isso (na verdade já fiz um no meu blog http://nessaterradigigantes.blogspot.com.br/2014/06/queda-de-braco-entre-pt-e-psdb-sobre-o.html) mas como aqui é um comentário vou ser sucinto: quem fez dos programas prioridade, foi o PT, não o PSDB. FHC pode ter criado uma ou outra coisa para inglês ver mas quem fez ministério (tinha MDS antes de 2002?), direcionou verba e comprou a briga frente a opinião pública sobre o “assistencialismo” foi o PT (inclusive contra notas oficiais dos tucanos http://www.cartacapital.com.br/politica/por-que-o-psdb-agora-e-a-favor-do-bolsa-familia-8786.html)

        Por fim, falar que Eduardo Cunha, presidente ds Telerj em 92, parceiro de PC Farias e Sarney, oligárquico da idade das pedras do Maranhão só existem por causa do PT é de uma má vontade sobre discutir nossa história que chega e me preocupar, apesar de não surpreender… afinal de contas, essa alma penada antipestita precisa vociferar, não é mesmo? 🙂

Comentários